O Falando em literatura vai mudar!

Porque mudanças são necessárias…livros sim, mas também imigração, opinião, lifestyle, viagens, e o que nos ocorrer.

Feliz 2020!

O último “Leituras” na TV Senado “impulsionou” o fim do programa?

Infelizmente, parece que esse vai ser mesmo o último programa “Leituras”, com Valdir de Aquino Ximenes, que é poeta, contista, narrador. É médico-pediatra. Nasceu em Fortaleza, e reside em Brasília há 25 anos e apresenta seu livro “Letra morta,  letra mortal”, uma história policial, metáfora do Brasil.

O assassinato de um médico que desenvolve atividades literárias, em um país imaginário, é a base do romance de Valdir de Aquino Ximenes “Letra Morta – Letra Mortal”. A trama policial serve de ponto de partida para discussões sobre justiça, corrupção e saúde pública. Na Dica de leituras, “A Análise de Sortilégio Possível”, de Ivan Marinho, e “A Flecha Passa”, de Joãozinho Gomes.

brasil

Valdir Ximenes e o apresentador Maurício Melo Júnior

O médico e escritor foi processado por causa do livro que escreveu com histórias da sua profissão. Valdir fala de censura, falta de liberdade de expressão no Brasil e que no seu livro descreve, de maneira não partidária, um país que tem um descaso com a Educação, com a Cultura e a Saúde Pública, além da corrupção. Será que foi por isso também que acabaram com o programa? O “Leituras” levava escritores que falavam coisas que não eram convenientes ao governo?

120731748_1GG

A  Letra Morta, Letra mortal, parece que não é  só na ficção.

Sin título

E como apenas 171 pessoas assinaram o abaixo- assinado (foto acima) com a petição para a continuidade do programa, dou por encerrada a campanha, já que com isso não vamos muito longe. Longe vai é a minha decepção com a maioria de vocês. E obrigada aos 171!

Reyes Monforte e suas Marias: drama na vida real e na ficção

A viúva Reyes Monforte e justiça para Maria José Carrascosa

A escritora espanhola Reyes Monforte (1973) ficou viúva ontem do popular ator espanhol Pepe Sancho, que faleceu aos 68 anos de câncer no pulmão.

Reyes Monforte escreveu “Um burka por amor” (eu li na época do seu lançamento, em 2007, muito bom!), uma história comovente, violenta, real, o drama de Maria, uma espanhola que apaixonou- se por um homem do Afeganistão e padeceu horrores por esse amor. Maria entrou em contato com Reyes (que é jornalista) e a sua história virou livro e também um filme, veja (na íntegra, em espanhol):

Reyes Monforte lançou outro livro no ano passado (publicado no Brasil), “Amor cruel”, também baseado na história real de Maria José Carrascosa, advogada espanhola, que casou com um americano, sofreu maltratos, separou- se e foi presa acusada de sequestrar sua própria filha. Leia a história com mais detalhes, é terrível. Maria continua presa, mesmo com inúmeros e graves problemas de saúde. A Justiça é muito injusta, às vezes. Essa mulher não é uma delinquente, é uma mãe desesperada, não merece isso! Ela saiu dos Estados Unidos para Espanha com sua filha de 7 anos em 2006 e foi condenada a cumprir 14 anos de prisão. Mais uma prova que os imigrantes estão completamente desprotegidos, mulher, maltratada, ao invés de ser protegida, foi condenada! No final de 2012 ela pediu a liberdade condicional, mas o governo de Nova Jersey negou seu pedido e agora ela só pode solicitar outra vez depois de 1 ano e meio. Aonde estão as autoridades espanholas para intervir por essa mulher?!

maria_jose_carrascosa

LIBERDADE para Maria Carrascosa já!

423585_280452878721646_41433691_n

Carta da filhinha da Maria pedindo aos Reis Magos que traga a mãe dela de volta. É de partir a alma!

Reyes Monforte, além de ser uma excelente escritora é uma fantástica jornalista que leva para a ficção histórias dramáticas de mulheres sofridas, que padeceram maltratos e injustiças. A literatura também pode ter esse papel social e de denúncia. Literatura dolorida, que chora, como a própria vida.

Reys Monforte, hoje a dor é sua. Espero que a dor se transforme, em breve, em doce saudade. RIP Pepe Sancho.

pepe_sancho07_portrait_galeria