Resenha: “Ciranda de pedra”, de Lygia Fagundes Telles

Tenho uma leve lembrança da novela "Ciranda de Pedra", que passou na minha infância (1981), mas nada significativo em relação ao enredo, só lembro do rosto de Lucélia Santos; portanto, essa obra era como uma desconhecida para mim. Sei que a novela da Globo foi um tremendo sucesso, foi reprisada e ganhou um remake em … Continuar lendo Resenha: “Ciranda de pedra”, de Lygia Fagundes Telles

Quarenta (e um) passos para ser bastante infeliz

Existe muito livro de auto- ajuda e textos pela Internet dando lições sobre como ser feliz. Coisa que eu acho impossível, já que as pessoas são felizes (ou infelizes) de formas muito diferentes. Mas, sobre como ser infeliz ninguém fala. É tão óbvio como cavar a própria infelicidade, mas passa por alto. Hoje estava pensando … Continuar lendo Quarenta (e um) passos para ser bastante infeliz

Resenha de filme: “A livraria”, de Isabel Coixet

Estreou no Brasil nesta última semana, o filme "A livraria", da cineasta espanhola Isabel Coixet. O filme ganhou o Goya de melhor direção na Espanha. Merecido prêmio: a direção é primorosa. E a atriz protagonista, Emily Mortimer, também levou o Goya. O filme foi baseado no livro da inglesa Penelope Fitzgerald, "The Bookshop" e acontece … Continuar lendo Resenha de filme: “A livraria”, de Isabel Coixet

Francisco Brennand, o Gaudí brasileiro

Pesquisando para o post sobre o Parque dos Poetas em Portugal, descobri o artista pernambucano Francisco Brennand e fiquei completamente fascinada. Descobri que existe uma semelhança de estilo com o Gaudí catalão (pelo menos eu acho!), o que criou a Sagrada Família em Barcelona. Os brasileiros cruzam o Atlântico para conhecer as obras de Gaudí, … Continuar lendo Francisco Brennand, o Gaudí brasileiro

Sorteio: “Homens imprudentemente poéticos”, de Valter Hugo Mãe

Eu prometi mais cedo que sortearia um super livro se o blog atingisse as 10 mil visualizações hoje. Está quaseeee, então amanhã terá sorteio! Obrigada você que esteve aqui e que me acompanha sempre. Fora os leitores do mundo lusófono, agora com os tradutores (inclusive há um na barra lateral aqui no blog), chega gente … Continuar lendo Sorteio: “Homens imprudentemente poéticos”, de Valter Hugo Mãe

Resenha: “A última palavra”, de Hanif Kureishi

O filósofo e escritor Hanif Kureishi (Londres, 05/12/1954), de pai paquistanês e mãe inglesa, ainda não é um autor muito conhecido no Brasil, mas foi editado no país,  "A última palavra", pela Companhia das Letras, além dos livros citados abaixo. Coloquem esse autor na lista, ele é MUITO BOM! Essa foto é minha (2015). O … Continuar lendo Resenha: “A última palavra”, de Hanif Kureishi

O dia em que eu aprendi a ler

Lembro exatamente do dia em que aprendi a ler, ou melhor: lembro do dia que descobri que sabia ler, porque a alfabetização é um processo. Você lembra quando percebeu que já sabia ler? Eu devia ter seis anos. O trajeto de ônibus da Vila Mangalot até a Vila Mariana parecia não ter fim. O cheiro … Continuar lendo O dia em que eu aprendi a ler