Férias!

Eu vou entrar em férias e o blog também. Até a próxima!

“Os filhos dos dias”, Eduardo Galeano

Eu nunca tinha lido nada de Eduardo Galeano (Montevidéu, 1940), comecei pelo seu recém- lançado e levei uma surpresaruim. "Os filhos dos dias" ("Los hijos de los dias") é uma cópia do Wikipédia. Galeano escolheu um fato, um acontecimento, uma pessoa, para cada dia do ano e escreveu um livro com 365 micro- textos. Hoje, … Continuar lendo “Os filhos dos dias”, Eduardo Galeano

Dia da Língua Portuguesa: 10 de junho

Ontem comemorou- se o Dia da Língua Portuguesa, porque é o dia da morte de Luis Vaz de Camões (Lisboa, 1524 — Lisboa, 10/06/1580)  escritor português considerado um dos maiores poetas da nossa língua. Talvez esse poema seja o mais conhecido de Camões, que tudo indica, foi inspirado por uns versículos da Bíblia (Coríntios 13): Amor é fogo que arde sem … Continuar lendo Dia da Língua Portuguesa: 10 de junho

Livros que eu não quero ler

É fácil reconhecer os livros que nos podem agradar pela temática, pelo autor, pela sinopse. Mas... e os livros que não queremos ler? Como evitá- los? Eu fiz a minha lista de livros que não me interessam, que não gosto, que não quero ler: 1. Livros com temáticas de apologia ao nazismo, ao racismo, ao … Continuar lendo Livros que eu não quero ler

“Umma”, Darlan Matos Cunha

"Viagens e livros são climas propensos onde achar gente. ( p. 52) "Umma" é um romance narrado em 3ª pessoa, um narrador que sabe tudo, vê tudo, destrincha a personalidade de Umma. É dividido em três capítulos: "grãos de areia e alergia", "outras e mesmas a/feições" e "umas e outros e outras". Há também poemas … Continuar lendo “Umma”, Darlan Matos Cunha

Memórias do Subsolo, Fiódor M. Dostoievski

"A melhor definição do homem seria: um sujeito mal- agradecido com um par de pernas." (p. 94) Eu acho que a escolha das nossas leituras não são por acaso, há algo de seleção intuitiva, cada livro cai na nossa mão na hora certa ( e quando não é, geralmente a leitura acaba sendo abandonada). Então vamos, … Continuar lendo Memórias do Subsolo, Fiódor M. Dostoievski